O número de pessoas infetadas pela covid-19 em Portugal aumentou em 10.556, um novo recorde, de acordo com os dados revelados esta quarta-feira, 13 de janeiro, pela Direção Geral da Saúde (DGS). O total de infetados superou pela primeira vez os 500 mil, ao subir para um total de 507.108. Quanto às mortes relacionadas com o novo coronavírus, registaram-se 156 óbitos nas últimas 24 horas, um novo máximo e superando pelo sexto dia consecutivo a barreira da centena de mortes e elevando o total de óbitos desde o início da pandemia para 8.236. 
Esta evolução leva a que o Governo vá decretar já a partir desta quarta-feira um confinamento semelhante ao de março do ano passado e com a duração de um mês. António Costa admite o encerramento das escolas, mas apenas no 3.º ciclo e secundário.
A média diária de novos casos dos últimos sete dias subiu para 8.643, o valor mais elevado de sempre.
Nos últimos 14 dias, Portugal acumulou 982 novos casos por 100 mil habitantes, o nível mais elevado de sempre. Este indicador, muito utilizado internacionalmente para medir a propagação do vírus e critério determinado pelo Governo para considerar os concelhos em risco, mais do que quadruplica o limite definido de 240 casos por 100 mil habitantes. 

O número de doentes recuperados cifrou-se em 4.460 nas últimas 24 horas, aumentando o total de recuperados para 378.084.Assim, os casos ativos, que são calculados subtraindo ao total de casos confirmados os doentes recuperados e os óbitos, subiram em 5.940, para 116.328 atingindo o nível mais elevado de sempre. Este valor significa que mais de 1% da população portuguesa está atualmente infetada.

Mais de 4.200 internados e doentes graves descem ligeiramente
O número de internados devido à covid-19 aumentou em 197, para um total de 4.240 pacientes, atingindo um nível recorde. Nos primeiros 12 dias deste ano o número de doentes internados nos hospitais com covid-19 aumentou em 1.434, um claro sinal do agravamento da pandemia e da pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde. Já no que respeita aos casos mais graves, de internamentos em unidades de cuidados intensivos (UCI), há menos três pacientes, num total de 596, após o máximo absoluto de 599 na véspera. Os doentes em UCI desceram após terem aumentado por 12 dias consecutivos.

LVT com 135 mortes em dois dias, recorde de casos no Centro e Algarve
Lisboa e Vale do Tejo (LVT) foi a região com maior número de novas infeções, somando mais 3.793 novos casos, que correspondem a 36% dos contágios no país nas últimas 24 horas, elevando o total da região para 167.547. 
No Norte foram registados mais 3.638 casos, elevando o total para 242.209.Os restantes casos ocorreram no Centro (2.136), Alentejo (474), Algarve (411), Açores (69) e Madeira (44). No Centro e no Algarve foi registado o maior número de sempre de novas infeções diárias.Quanto aos óbitos, a maioria foi em Lisboa e Vale do Tejo, com 67, o segundo valor mais elevado de sempre, apenas superado pelos 68 da véspera. Seguem-se o Norte e o Centro com 36 cada; o Alentejo com 11 e Algarve com 6. Nos Açores e na Madeira não houve vítimas mortais. Em Lisboa e Vale do Tejo foram reportados 135 óbitos em dois dias, o que supera as mortes em todo o mês de julho (130), junho (112), setembro (102), agosto (63) ou março (38). No Algarve este foi o dia com mais vítimas mortais desde o início da pandemia.No Centro o número diário de mortes é também o mais elevado de sempre.

O total de mortes desde o início da pandemia ascende a 3.569 no Norte. Seguem-se Lisboa e Vale do Tejo, com 2.910, o Centro, com 1.269, o Alentejo, com 347, o Algarve, com 99, os Açores, com 22, e a Madeira, com 20.


Source link